Quem assiste a muita TV corre mais riscos de envelhecer mal.

Quem assiste a muita TV corre mais riscos de envelhecer mal –

Nathan Vieira |

Via : Luciana Zaramela => Canaltech

Assistir a muita TV pode impactar o envelhecimento. É o que diz um estudo apresentado na JAMA Network na terça-feira (11\06). Segundo o material, a cada duas horas que se passa sentado para ver televisão há uma diminuição de 12% nas chances de envelhecer de forma saudável.

Mas então, como combater esse mal e recuperar um bom envelhecimento? Esse mesmo estudo aponta que duas horas de atividade física leve aumentam cerca de 6% as chances de envelhecer de maneira saudável.

A necessidade de abordagens para alcançar um envelhecimento saudável (ou seja: livre de doenças e física, mental e cognitivamente estável, sem doença crônica grave ou prejuízo na memória) se mostra cada vez mais urgente.

O estudo alerta que apenas 10% a 35% dos idosos alcançam um envelhecimento saudável, então identificar fatores que possam contribuir para isso é um primeiro passo rumo a intervenções eficazes.

A análise contou com dados do Nurses’ Health Study de mais de 45 mil pessoas a partir de 50 anos, e fez uma comparação no estado de saúde em 20 anos.

“Explorar a associação do comportamento sedentário com a saúde dos idosos tornou-se particularmente importante. Substituir esse comportamento pela atividade física poderia reduzir o risco de mortalidade”, relatam os autores, que fazem parte da Escola de Saúde Pública TH Chan de Harvard.

“Os participantes que passaram mais tempo assistindo televisão eram mais velhos, menos escolarizados, mais propensos a fumar ou beber álcool, mais propensos a ter hipertensão e colesterol alto, e mais propensos a ter maior IMC e ingestão de calorias e menor qualidade da dieta, em comparação com aqueles que gastavam menos tempo assistindo televisão”.

Assistir à televisão faz mal?

Assistir à televisão excessivamente pode aumentar riscos de trombose, conforme cientistas da University of Bristol (via European Journal of Preventive Cardiology).

Já a revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences contribui para o alerta dos malefícios desse hábito, e diz que o risco de demência aumenta 24% entre aqueles que passam muito tempo assistindo à televisão.

Então esse estudo atual de Harvard recomenda substituir a televisão pelos exercícios físicos, mesmo que leves (como caminhada). Por sua vez, são atividades que já mostraram diversos benefícios, não só para a saúde física, mas a mental também.

https://canaltech.com.br/saude/quem-assiste-a-muita-tv-corre-mais-riscos-de-envelhecer-mal-292627/

Rolar para cima