A história de Charles Schulz (Snoopy) – Momento Insight
Feliz Dia Novo

 
 
00:00 / 00:08:10
 
1X
 

A história de um garoto fora do padrão de resultados convencionais na escola, nos esportes, cheio de problemas e dificuldades, predestinado ao fracasso, mas que acabou se transformando em um grande sucesso editorial, desde 1948 até hoje, 20 anos após sua morte. Você o conhece. Seu nome é Charles, popularizado como Charlie Brown. Adaptado do livro Fênix de Daniel Carvalho Luz.

Diz Honoré de Balzac que o homem começa a morrer na idade em que perde o entusiasmo. Momento insight aqui, um texto adaptado do livro das atitudes criativas de Daniel Carvalho Luz, esse especialmente é um argumento que tá no Insight que é um dos 3 livros da série. E ele conta num argumento verídico de uma história de um personagem e também de um autor que você também conhece bem. Como você precisa externar os seus talentos, todas as pessoas têm algum talento. Independentemente se você vai ganhar dinheiro, ficar rico com o seu talento você precisa exercer, praticar esse talento, e o conselho é: morra vazio, entregue ao mundo o que você tem. Mas conta a história de Charles, você conhece o Charles. Ele foi reprovado em todas as matérias na oitava série. No segundo grau foi reprovado em física com a nota mais baixa da escola, também foi reprovado em Latim, que tinha na época. Foi reprovado em Álgebra e também em Inglês. O desempenho nos esportes também não era bom, era insuficiente, parecia que ninguém se importava com o Charles. Surpreendia-se quando alguém passava por ele e dizia Olá, Bom dia, e aí velho…Bom, ele, os professores e os colegas de classe sabiam que ele era um fracassado segundo os padrões convencionais. E ele então resignou-se ao mais baixo nível de mediocridade ou talvez até pior. Contudo, contrariando todas as expectativas no fundo ele acreditava possuir uma centelha natural de genialidade ou talento pra desenhar. É, ele desenhava. Gostava de rabiscar no seu caderno figuras que só faziam sentido pra ele. E ele se orgulhava desses desenhos, desses esboços mesmo sabendo que ninguém lhe dava importância. No segundo ano do ensino médio, ele enviou uma série de histórias em quadrinhos para o livro anual da escola e foram todas rejeitadas. Após o segundo grau, completou um curso por correspondência em Arte, a sua única formação na área e na vida também. Depois enviou uma carta, esperançoso, ao Walt Disney estúdios na esperança de trabalhar quem sabe como cartunista. Era isso que ele achava que sabia fazer, e sabia. Solicitaram os desenhos, ele trabalhou horas antes de enviar tudo para os estúdios e a resposta chegou rápido. Uma carta padrão negativa. Mas Charles sentia que possuía um talento peculiar e valioso mesmo que só pra ele. Assim foi que ele reagiu a reação ou a rejeição dos estúdios Walt Disney desenhando então a partir dali a sua autobiografia em quadrinhos. Então ele assumia ali o personagem que se identificava com ele, um fracassado crônico. Um garoto cuja pipa nunca subia, mas que o mundo viria a conhecer. O nome desse Charles se tornou Charlie Brown, Charles mais conhecido como Charles Schulz ao longo dos anos ganhou cerca de 55 milhões de dólares. Seus quadrinhos Peanuts lançados em 1948 tornaram-se um dos mais famosos da história, chegando a aparecer em 2.600 jornais em 21 idiomas. Cada um dos personagens dos Peanuts transformou-se em nomes familiares para cerca de 350 milhões de leitores em 75 países, como Daniel Carvalho Luz, eu e muitos outros. E eles estão ainda publicados nos jornais atualmente, mesmo que o seu autor tenha morrido no ano 2000. Um vasto potencial aqui vem a nossa reflexão, um vasto potencial humano é desprezado ou se perde quando a gente não entende a verdade que Charles Schulz percebeu, ele tinha um potencial único e ele era a pessoa mais importante pra investir nesse potencial. Era ele que se reconhecia fazendo aquilo. Portanto ele precisava continuar a despeito das descrenças dos outros. Mesmo quando ninguém valorizou ou até mesmo admirou o seu talento, Schulz admirou o seu próprio trabalho e foi assim que ele adquiriu coragem para desenvolvê-lo cada dia de um jeito melhor, mais marcante. E contra todas as expectativas defendeu esse ponto forte e acabou emocionando o mundo com suas tiras e fica aqui a pergunta pra você: O que você traz aí no seu íntimo nesse exato momento? O que você pensa ser o seu talento? Você tem revelado pra si mesmo, você se reconhece nesse talento? Não morra sem deixar para o mundo tudo aquilo que você tem, morra vazio. Não deposite no cemitério todo seu valor, tudo aquilo que você pode fazer, a cada dia exercite o seu talento, o seu dom, tudo aquilo que você quer fazer, mesmo que não seja pra ganhar dinheiro, mesmo que não seja pra ficar rico. Mas olha, pode ser que aconteça, se você conseguir unir dentro desses modelos de economia criativo o que você gosta de fazer, o seu talento pras demandas e necessidades objetivas ou imateriais do mundo, certamente você terá o sucesso. Mas o mais importante é que você se reconheça naquilo que você faz, que você entregue, se aprimore a cada dia e transforme o seu talento num propósito pra conversar com o coração e com a alma de alguém. Não morra vazio, texto adaptado do livro Fênix, momento insight de Daniel Carvalho Luz, este é o nosso espaço da Rádio Positiva agora na internet, no Youtube no Facebook, Instagram. Entra lá no canal que você quiser para ouvir esses materiais, acessando o www.felizdianovo.com.br você chega a todos os canais ou entra direto lá no Youtube, marca sininho pra ser informado toda vez que entrar também um conteúdo novo. Esta é uma rede conectada à boa atitude e a sua presença aqui perto nos incentiva e nos entusiasma também a continuar propagando e difundindo boas mensagens pra quem quer ouvir e também pra quem precisa ouvir. Só pra despertar, pra lembrar a cada um do imenso talento que existe aí dentro, reservado nesse infinito potencial que existe dentro de cada alma, de cada mente humana. É isso aí, espero você. Rádio Positiva uma rede conectada à boa atitude. radiopositiva.net ou felizdianovo.com.br. Pra difundir também pra ficar fácil de achar pelo Google é só colocar Irineu Toledo, também chega. É isso aí…

Música: Não há pedras no caminho… Banda Aquática Álbum: Nova Manhã

Compartilhe